Da série cinema canônico e montagem: “Matar ou Morrer”

Algumas indicações de filmes cuja montagem/linguagem é particularmente elucidativa sobre o cinema canônico (nem que seja como negação deste).


Matar ou Morrer (High Noon, 1952, Fred Zinnemann)
Com Gary Cooper, Grace Kelly, Lloyd Bridges
Oscar de melhor montagem (entre outros): Elmo Williams ( de 20000 léguas submarinas)

Auge da linguagem canônica, verdadeira aula de decupagem e montagem para criar o efeito “janela para o mundo”. O uso da “montagem paralela” é absolutamente fundamental para criar a crescente tensão pela chegada do bandido. Reparem como é a montagem que cria o espaço/tempo: na cena em que a noiva e a prostituta estão deixando a cidade e passam na frente do xerife, é possível perceber como o movimento na verdade se sobrepõe: entre os planos dele e delas, há sempre uma repetição do movimento que, no entanto, tendemos a ler como um movimento contínuo. É um ótimo exemplo de como o cânone constrói a continuidade/linearidade a partir de fragmentos, sempre com uma certa ajudinha do nosso olhar.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s