Espaços cada vez mais impossíveis

Já faz quase 1 ano que meu aluno Gabriel Xavier foi “picado com o vírus” de criar “espaços impossíveis”, ou seja, espaços que não podem existir no mundo real, mas que, com boa decupagem (e no caso dos trabalhos posteriores, efeitos de finalização, mas nada muito complexo), tornam-se completamente verossímeis e muito interessantes. Bom, a disciplina acabou, mas o Gabriel continua construindo espaços cada vez mais impossíveis, adotando como marca a multiplicação dos Gabrieis – na frente e atrás das câmeras, aliás.

Usando apenas a si mesmo, câmera/tripe (este, MUITO importante), Final Cut e (suspeito) After Effects, neste vídeo, ele elimina um monte de seus próprios clones, dá um show de decupagem, interpretação e edição e me deixa muito feliz de ter plantado esta semente de puro amor à linguagem audiovisual.

Gabriel tá convidado a explicar às turmas de edição I o making of de seu último “espaço impossível”.